• Rede ODS Brasil

Oficina para avaliação das capacidades de resiliência de Barcarena


Nos dias 26 e 27 de outubro, membros do Comitê de Redução de Riscos e Desastres e Resiliência de Barcarena/PA participaram da Oficina de avaliação das capacidades de resiliência da cidade.


A Oficina utilizou a ferramenta Scorecard (indicador, em inglês) desenvolvida pela iniciativa Construindo Cidades Resilientes 2030 (MCR 2030, em inglês) do Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (UNDRR, em inglês) para mapear os riscos da cidade e planejar ações para mitigá-los, adotando 10 Princípios baseados no Marco de Sendai.


A Oficina foi promovida por UNDRR, MCR 2030, ICLEI América do Sul, Prefeitura de Barcarena, Rede ODS Brasil e Federação das Associações de Municípios do Estado do Pará (FAMEP), com facilitação de: Clément da Cruz - UNDRR/MCR2030; Keila Ferreira - ICLEI e Patrícia Menezes - Prefeitura de Barcarena/Rede ODS Brasil.


No primeiro dia, membros do Comitê debateram sobre Ameaças, Vulnerabilidades e Exposição a Desastres em Barcarena e, utilizando o Scorecard, fizeram o diagnóstico situacional da cidade.


No segundo dia, o Comitê planejou as ações para fortalecer as capacidades de resiliência da cidade.


Esta ação contribui com diversos ODS, em especial com as Metas:

11.b Aumentar substancialmente o número de cidades e assentamentos humanos adotando e implementando políticas e planos integrados para a inclusão, a eficiência dos recursos, mitigação e adaptação às mudanças climáticas, a resiliência a desastres; e desenvolver e implementar, de acordo com o Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres 2015-2030, o gerenciamento holístico do risco de desastres em todos os níveis

12.8 Até 2030, garantir que as pessoas, em todos os lugares, tenham informação relevante e conscientização para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia com a natureza

13.1 Reforçar a resiliência e a capacidade de adaptação a riscos relacionados ao clima e às catástrofes naturais em todos os países

13.3 Melhorar a educação, aumentar a conscientização e a capacidade humana e institucional sobre mitigação, adaptação, redução de impacto e alerta precoce da mudança do clima

16.7 Garantir a tomada de decisão responsiva, inclusiva, participativa e representativa em todos os níveis

17.14 Aumentar a coerência das políticas para o desenvolvimento sustentável