CARTA DE PRINCÍPIOS

QUEM SOMOS?

A Rede ODS Brasil é um coletivo suprapartidário que promove diálogo intersetorial pautado nos Direitos Humanos e na Agenda 2030, fomentando a participação social para que esta qualifique a elaboração, o monitoramento e a avaliação de políticas públicas alinhadas à Agenda 2030, assegurando o desenvolvimento humano, econômico, social, cultural e ambiental do país, de forma sustentável.

 

Para isto defende: os Direitos Humanos; a igualdade (racial, geracional, de gênero e orientação sexual) e a justiça social; a aplicabilidade do Marco Legal da laicidade do Estado; o reconhecimento dos direitos dos grupos historicamente excluídos da sociedade; o desenvolvimento que equilibre as esferas econômica, social e ambiental, valorizando as práticas e saberes dos povos originários e dos povos e comunidades tradicionais; o Estado Democrático de Direito; o fortalecimento da Democracia Participativa. Tendo como referência a Constituição Federal de 1988 (CF/88), a Agenda 2030 e demais Protocolos Internacionais de Direitos Humanos. 


O QUE QUEREMOS?

democratizar.png

Democratizar a Agenda 2030, por meio da produção e disseminação de conhecimento sobre o tema.

Para isso, a Rede ODS Brasil promove e apoia eventos, capacitações e publicações que possam subsidiar a Localização da Agenda 2030 e seu acompanhamento de progresso.

defender.png
Defender a Agenda 2030 significa defender a Constituição Federal de 1988, os Direitos Humanos, os Direitos Civis, os Direitos Sociais, os Direitos Políticos, os Direitos Coletivos.
Para isso, a Rede ODS Brasil se posiciona, por meio de
Notas Públicas e Campanhas, sobre temas relevantes relacionados à implementação e acompanhamento de progresso da Agenda 2030 no país.
localizar.png
Localizar a Agenda 2030 significa adaptar as metas globais para a realidade local e adotá-las como referência para políticas públicas e legislações que promovam o desenvolvimento sustentável. 
Para isso, a Rede ODS Brasil fomenta a institucionalização da Agenda 2030 no Poder Público; no Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação; em espaços institucionalizados de participação social.